domingo, 30 de janeiro de 2011

GELADEIRA



No sofá, reflito.
Meus devaneios ...
Minhas dúvidas...
Meus desejos...
Nada.
Então, abro a geladeira.
Fico à olhar,
Nada.
Espero ao abrir, encontrar uma resposta, uma solução...
Lá, na geladeira...
Nada.
Abro, fecho.
Fechando e abrindo a geladeira, sem ter um motivo, um porque...
Sento no sofá.
Situação claustrofóbica,
A de estar presa aos meus pensamentos,
Carregados de miuçalhas.
Mísero.
Fugaz...
Me sinto impotente...
Desejar não pensar, é já estar pesando...
Foge do meu controle.
É no silencio da madrugada...
Que procuro, e ...
Nada.
Abro a geladeira...
Situação inicial.
Todos abrem a geladeira para nada!
Reflito.
Nada,
Tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário