domingo, 2 de janeiro de 2011

SOBRE um FRÁGIL



Chega à noite. E dentro dessa psicodelia de ideias, tu me apareces e causa um efeito estroboscópico em minha razão.
Acreditas tanto em mim, que temo.
- Não me idealize como um ser frágil em tal grau que tu com teus três jeitos, conseguiria espedaçar-me tão facilmente.
Lembrai -vos que somos em comum, humanos.
E viver essa humanidade, é constatar paulatinamente  nossa fragilidade...
Percebes a taça em que bebes a bebida dos deuses...
O vinho que tanto  aprecias...
Mais frágil que seu cristal, são teus olhos.
Basta a eles uma luz mais intensa, para assim ofuscar-te a vista.
- Mais frágil que tua taça, és tu!
Experimenta quebra - lá entre tuas mãos...
Sangrarás!
E quando sangrares , lambe tua mão e bebe do teu sangue.
- percebes que tua fragilidade é também tua força ?
É nesse momento que tu alvitarás da minha figura... e verás que sou tão frágil quanto forte.
Tu mesmo se despedaça em teus devaneios ...
A mim, restará de ti o tanto quanto idealizas...
A imagem de um ComPleTo FRÁGIL.



by: C.A

Um comentário:

  1. Este eu já tinha ouvido falar... E por sinal, muito bom. Aliás, fantástico! São sempre assim, escritos profundos e poéticos... Quero ler os próximos... Estes eu já esperava e sabia que eram bons...

    ResponderExcluir