quinta-feira, 31 de março de 2011

Existe um viaduto.
Hora prolixo,
Hora escasso.
Viaduto da distância...
Viaduto da proximidade...
Proximidade dos pensamentos...
Distância, traduzida na ausência de tudo...
Na saudade,
No desejo do ser,
Do estar,
Estamos.
Somos.
Temporalmente, complexamente,
Humanamente,
- humanos.
Necessitamos, buscamos, erramos,
Acertamos, caminhamos...Encontramos e desencontramos...
Permanecendo , silenciosamente sentimos...
Calado, calando,
- grito.
Viaduto,
Via longe,
Via perto,
Via tudo,
Nada havia.
Começara a florescer...
Sou muito mais abstrata, do que permite perceber essa realidade vigente.

sexta-feira, 25 de março de 2011

APARÊNCIA



Como parece difícil.
Dizer que gosta,
Mostrar que gosta...

Como parece difícil.
Fingir que não gosta,
Tentar não gostar...

Como parece difícil.
Falar o que  pensa,
Pensar não falar...

Como parece difícil
Caminhar sobre as pedras,
Sem pensar em voltar,
Procurar outro caminho,
...continuar a caminhar...

Como parece difícil.
Perceber o fácil,
Que não é difícil.
Renunciar o que já é tido...
Dificilmente renuncia-se um prazer já conhecido.
Na realidade, mudamos umas coisas por outras.
Pois, nada podemos renunciar.

Tantas  coisas parecem, aparecem, desparecem...
Talvez, mostrem-se no olhar.

Olhar, acreditar ser útil,
E ainda que pareça inútil...
Realizar.

Mais vale o inútil de fazer,
Do que nada fazer de útil.
Não há coisas inúteis,
Nem úteis...
Há momentos que as tornam...
E que esses sejam para nunca esquecer....



sábado, 19 de março de 2011

Merda

Quando pensou haver vomitado tudo que podia...
Ela mais uma vez regurgitou.
Tinha nojo.
- Será que estão todos cegos?
_Olhem em sua volta...
- Sintam,
_Percebam,
Nada mudou, há um tempo que nada é igual...
Continuou a vomitar...
Agora em suas mãos, o vômito seguia em movimento a maestria de sua voz...
E alcançava todos os rostos ali, inertes e bestificados...
Cheirava forte.
Náuseas.
Mais uma vez regurgitou.
E mergulhada em toda aquela merda, sentiu chafurdar.
Cansada,
se retirou.
- Mais um dia.
Foi lavar-se...
- Teria mais um dia amanhã...

Ô Merda.
...

quinta-feira, 17 de março de 2011

PÍLULA ³*³

Há coisas que quero dizer.
Desejo.
Difusão demasiada dos pensamentos não ditos.
Dos Mal ditos.
Há coisas que não sei dizer...

quinta-feira, 10 de março de 2011

EMBARAÇO


Como se fosse uma sombra, perdida,
Não se encaixa em algo real...
Devaneios.
Entre as opções, não parece ser a primeira.
- Paciência! Paciência!
Faz-se necessário  à espera.
Esperando, enxergar o mar...no mar as coisas simples...simples no complexo mar...
Pensamentos, devaneios...
Não consigo acompanhar, não consegues acompanhar...
Não permitas...espero segurar na minha mão...
Sinto como se apenas estivesse a segurar...
Penso já saber que o feito era assim... alucinoide...
Minhas idiossincrasias...
São só minhas.
Nada deveras...mas, segura na tua  mão...não permita assim pesar meu pensar sobre ti...
Pareço não importar.
Tudo me importa...esse é o fato...
Sempre me importa...
Não sendo eu  o mais importante.
- Devaneios conturbados de uma madrugada-
Nada a declarar, nada a compreender...
- Embaraços_
Fugaz, momento.
Sentindo o cheiro...ouço a madrugada passar...
Tudo Devaneio.
Nada real.
...
Por enquanto...

quinta-feira, 3 de março de 2011

Sem Título

Não sei...
Penso querer chorar...
Gritar, Talvez...
- Que seja a Primeira.
Penso estar de Luto!
Talvez...vivendo a Viúvez de mim...
Nada há dizer.
- Estranho.
Talvez precise ouvir, queira ouvir...
Não é dever...é desejo...
Sou Eu.
Paradoxo.
Os outros...
Quem seja...
Desejo ouvir...
-Manipulo?.!
Não é o que desejas dizer...
O que desejo que digas...eu vou ouvir.
Nada há dizer.
Disse.
O que desejas ouvir?
...

terça-feira, 1 de março de 2011

Pílula ³

É...
Infelizmente, me parece que não sou a pessoa que possui a solução para os seus problemas;
Havia esquecido, que o brilho das estrelas também tem prazo de validade...
Penso por hora, estar apagando...