quinta-feira, 10 de março de 2011

EMBARAÇO


Como se fosse uma sombra, perdida,
Não se encaixa em algo real...
Devaneios.
Entre as opções, não parece ser a primeira.
- Paciência! Paciência!
Faz-se necessário  à espera.
Esperando, enxergar o mar...no mar as coisas simples...simples no complexo mar...
Pensamentos, devaneios...
Não consigo acompanhar, não consegues acompanhar...
Não permitas...espero segurar na minha mão...
Sinto como se apenas estivesse a segurar...
Penso já saber que o feito era assim... alucinoide...
Minhas idiossincrasias...
São só minhas.
Nada deveras...mas, segura na tua  mão...não permita assim pesar meu pensar sobre ti...
Pareço não importar.
Tudo me importa...esse é o fato...
Sempre me importa...
Não sendo eu  o mais importante.
- Devaneios conturbados de uma madrugada-
Nada a declarar, nada a compreender...
- Embaraços_
Fugaz, momento.
Sentindo o cheiro...ouço a madrugada passar...
Tudo Devaneio.
Nada real.
...
Por enquanto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário