sábado, 19 de março de 2011

Merda

Quando pensou haver vomitado tudo que podia...
Ela mais uma vez regurgitou.
Tinha nojo.
- Será que estão todos cegos?
_Olhem em sua volta...
- Sintam,
_Percebam,
Nada mudou, há um tempo que nada é igual...
Continuou a vomitar...
Agora em suas mãos, o vômito seguia em movimento a maestria de sua voz...
E alcançava todos os rostos ali, inertes e bestificados...
Cheirava forte.
Náuseas.
Mais uma vez regurgitou.
E mergulhada em toda aquela merda, sentiu chafurdar.
Cansada,
se retirou.
- Mais um dia.
Foi lavar-se...
- Teria mais um dia amanhã...

Ô Merda.
...

Um comentário: