sexta-feira, 22 de abril de 2011

Surpresa


(imagem- Salvador Dáli)
Farei uma viagem.
Partindo em breve.
Não tenho dia pra chegar,
nem pra voltar.
Será uma grande surpresa!
Ainda estamos a descobrir...
E há tanta coisa.
Mas, bem. Não há muito o que dizer agora.
Cuide-se. E quando não houver mais o que falar...se assim derrepente  me calar...
Num silêncio sentires meu pensar,
Grita!
Não deixe que o efêmero silêncio de meus impermanentes pensamentos se eternizem.
Não é assim que o desejo...
Viverás estas coisas e mais umas tantas hei de experimentar.
E assim que com o novo me saciar, hei de voltar.
Pois agora, provarei de todos para descobrir qual é  aquele que mais uma vez quero apreciar...
E só na volta, na volta...
iremos nos encontrar.
Com muita bagagem, dos dois lados, poderemos juntos descansar...
rir, chorar...
Daquilo que nossa ausência nos permitiu escavar...
Porém, quando a hora chegar, nos depararemos assim:
- De surpresa!


Como quem nada tivesse sabido.

Um comentário:

  1. Uma viagem bela e efêmera! Belo texto, e obrigado por comentar lá no meu blog!

    Adorei seu blog, vou seguir!

    ResponderExcluir