sábado, 21 de maio de 2011

Inerte.


Mente, maré cheia, ondas bravas...tudo caminha à 


calmaria...


é chegada a baixa da maré...


num mergulho intenso eis que tudo se renova.


Cinéticamente.



Objeto em eterna construção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário