sexta-feira, 29 de julho de 2011

Nimbus





Foi na asa do pássaro de ferro,
que o mar branco descobri.
De tão alvo era o mais belo,
seu formato, um Colibri.

Nas ondas desse mar, muitas formas havia de encontrar.
Não era simples seu movimento...
com requinte, acompanhava o vento.

Hora criança, hora menino.
Hora leão, hora gatinho.
Hora olhos de quem imagina,
hora brincadeira de menina.

Nem doce, nem algodão.
Só olhos de admiração.
- Descobrira as nuvens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário