segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Blues




E no pulsar do desejo, a nudez do nascimento.

Mergulhar no mar, ao som do vento...
Outrora lugar de proteção...

Agora, mar, Solidão.

Perde-se no movimento ri-tímico, infinitude blues. . .

Incompletude Humana, vazio que transborda e não derrama.

Ah! Pensamentos malditos!  Me inclinão a escavar...

Porém turva são as águas, dos mares d'meu Mar...

È. Deixa a Maré levar.

terça-feira, 16 de agosto de 2011




 - Hoje eu tenho maturidade.
Tenho propriedade, para falar das coisas das quais não quero.
Não significa dizer, que não farão parte de minha vida...

Tenho dito : Se assim o fizerem, não será da ordem real da razão.

Coisas do desejo. . .








Queria nessa noite beber músicas e com elas me embriagar. . . Que de suas melodias, na ressaca, no outro dia. . .uma bela cena. . . Pintar, Criar. . .

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Não faz parte





Eis que escolhemos caminhos... Escolhemos?
Seguimos.
Tropeçamos.
Escavamos.

Nem tudo é medido,
palpável...
Existe, simplesmente.

Não á muito a dizer...
apenas não sou cenário do teu caminhar...
|Mas, fui paisagem da vida.

Assim também és na minha...
Uma paisagem...
Estática.
Pois é meu o movimento...
No meu Cenário foste uma bela paisagem...

Não faz parte.

Meu plano de fundo...
Nosso plano de fundo...
No destino...
Outro, não o mesmo...

Acabamos no desencontro.

Lembrança da bela paisagem....