sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Das Coisas

Eis aqui o que tenho.

O que restou de mim, em mim mesmo.

Não te enganes.

Sentir dor, e olhar à ela com mesmo desprezo, não é exaltá-la....


Não te enganes, meu bem....

Nem na eternidade conhecerás a ti em completude ( terás tanto tempo que buscarás novidades).


Sentir?

Poderás te sentir completo por muitas vezes.

Incompleto?

Estado de muito tempo...

Centrífugo momento de nossa transcendentalidade
...

Ah, meu Bem...Há muitas coisas das quais quero não saber...

Nenhum comentário:

Postar um comentário