domingo, 5 de fevereiro de 2012

Madrugada.

‎" ...e fico assim, a esperar... estranha espera...de não saber o que ou pelo que espero... Simplesmente e tão somente Só: espero. Carregando a esperança, de que quando findar, a hora chegar...me traga risos... e que o fim da espera não seja o esquecimento... Continuo a regar sentimentos..."

Um comentário:

  1. Tudo isso dói. Mas eu sei que passa, que se está sendo assim é porque deve ser assim, e virá outro ciclo depois.

    ResponderExcluir