segunda-feira, 16 de abril de 2012

Confusão.









‎" Há um sentimento que transborda, que não se explica... que devora. Algo que incômoda...não se sabe bem o motivo...mas não se consegue mandar embora. Sempre quer ter por perto, não se importa se vai dar certo... que seja de qualquer jeito... mas que se for do fundo do peito, a parte que lhe seja verdadeiro, é a que interessa. Tem pressa. Impressa em dúvidas...de um bem-querer, bem-me-queira...Sufoca. E se espera...que tudo se organize, e que chegada a hora: Seja Real. Que tenha gosto, tenha tempo, se mantenha...palpitando na veia...a pureza do seu infinito. Infinito no seu durar. Infinito na Mortalidade de nossa existência."

3 comentários:

  1. uau! meu deu um arrepio ao lêr esse lindo poema ^_^ amei de coração, realmente muito forte....
    by: Rafa Almeida

    ResponderExcluir
  2. Texto intenso! desconcertante! Muito uau! rsrsrs

    ResponderExcluir
  3. Apenas pensamentos impermanentes Rapazes....que Bom que tocou vcs (;

    ResponderExcluir